13ago

Financiamento imobiliário é uma ótima opção para a compra do imóvel próprio

Ter o imóvel próprio é o sonho da maioria dos brasileiros e hoje o financiamento imobiliário tornou-se uma das melhores (e principais) opções para conquistar esse desejo. Ele pode ser feito diretamente pela construtora ou por meio de uma instituição financeira.

Em 2020 o financiamento habitacional alavancou com a baixa na taxa de juros, a redução de parcelas e outros benefícios que facilitaram a aquisição do imóvel e ampliaram a capacidade de compra dos consumidores.

Mas, antes de qualquer coisa, é essencial ter em mente que o financiamento é um investimento a longo prazo e irá comprometer uma quantidade significativa da sua renda. Por isso, analise cada detalhe e avalie qual modalidade de financiamento mais se encaixa com seu perfil:

Programa Casa Verde e Amarela: essa modalidade é indicada para famílias com limitações de renda, pois o preço das parcelas é baixo. Elas são subsidiadas pelo Governo e, muitas vezes, podem ser mais baratas que um aluguel.

Sistema Financeiro de Habitação: compõe grande parcela dos financiamentos de imóveis no Brasil e sua grande vantagem é a possibilidade de usar o FGTs para quitar um imóvel.

O preço do imóvel não pode ultrapassar o valor de R$ 1,5 milhão e o prazo para quitar a dívida é de 420 meses. Entretanto, essas condições variam de estado para estado.

Sistema Financeiro Imobiliário: essa modalidade é procurada por pessoas que desejam comprar imóveis mais caros e estão dispostas a financiá-lo por um tempo menor. Não há valor fixo para o imóvel e, quanto menor o prazo, maiores serão as parcelas. Por isso, é importante considerar o custo efetivo total antes de optar por esse sistema.

Após optar pela modalidade que melhor se encaixa no seu planejamento, é preciso preparar a “papelada”. Dentre os documentos necessários estão: CPF, RG, comprovante de estado civil, comprovante de endereço, certidão conjunta de débitos referentes aos tributos federais, declaração de imposto de renda, extrato do FGTS, carteira de trabalho, comprovante de renda e documentos do imóvel a ser financiado.

A documentação, necessária para dar entrada no processo, é uma garantia para o credor que o cliente conseguirá arcar com o processo de amortização dos juros e quitação das parcelas do imóvel.  Para financiar um imóvel tenha em mente todos os custos e pormenores dos trâmites para tomar a decisão mais correta e planejada.